Postagens

Imagem
Imagem
“Arquitetura para os pobres não precisa ser uma arquitetura pobre”
Foto: Tetris apartments. Blocos de apartamentos do tipo social, vendidos para o Fundo esloveno de Habitação. Foi desenvolvido um edifício de 4 andares, 58 metros de comprimento e 15 de largura O título do artigo de hoje tem como base o depoimento do Arquiteto César Dorfmann: “Precisamos esquecer a ideia de que arquitetura para pobre é arquitetura pobre. Tem que ser a mesma arquitetura digna. O espaço público é tão importante quanto às edificações.” Na mesma linha de pensamento, o saudoso arquiteto Oscar Niemeyer costumava dizer em suas entrevistas: “Quando me pedem um prédio público, por exemplo, eu procuro fazer bonito, diferente, que crie surpresa. Porque eu sei que os mais pobres não vão usufruir nada. Mas eles podem parar, ter um momento assim de prazer, de surpresa, ver uma coisa nova. É o lado assim que a arquitetura pode ser útil. O resto, quando ela tiver um programa humano, social, aí ela vai cumprir seu dest…

Ciclovias, verdades e mentiras.

Imagem
Sobre a matéria da Veja São Paulo e o custo das ciclovias na cidade fev 9th, 2015 @ 05:22 pm › Willian Cruz
↓ Pular para os comentários Ciclovia da R. Vergueiro, numa terça-feira às 19h: três ciclistas à minha frente, mais os dois vindo atrás que ficaram fora da imagem. Ou seja, 6 ciclistas em um minuto – demanda ignorada pela matéria da revista. Foto: Willian Cruz Eu havia me prometido não escrever nada sobre a matéria da Veja que sobe o custo médio das ciclovias para R$ 650 mil reais, mas com os comentários absurdos que tenho visto nas redes sociais, não me contive. Esse texto era para ser apenas um desabafo na minha página pessoal no Facebook, mas conforme escrevia fui buscando fontes e números e acabou saindo maior. Achei justo compartilhar minha interpretação dos fatos com todos vocês. É minha opinião pessoal, portanto você pode concordar ou não, mas pelo menos leia o que eu tenho a dizer.
A matéria da Veja sobre ciclovias foi construída para passar uma opinião. Para isso, utiliza…
Imagem
Beneficiários aprovam moradia do Minha Casa Minha Vida Data: 22/12/2014 Fonte: Ipea

Crédito: istock/Aquir Os beneficiários do Programa Minha Casa, Minha Vida atribuíram nota média de 8,77 à satisfação com a moradia adquirida, em uma escala de 0 a 10. A avaliação está em pesquisa de campo feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com a Secretaria Nacional de Habitação (SNH), do Ministério das Cidades (MCidades).
Quando expostos à afirmação “estou muito satisfeito com a nova moradia”, a reação de concordância plena prevaleceu, gerando uma pontuação de 8,77 na média nacional. Da mesma forma, ao serem expostos à afirmação “mudar para essa nova moradia fez minha vida melhorar”, a concordância foi alta, resultando em uma avaliação de 8,62.
As respostas apontaram uma melhora geral das condições de vida dos beneficiários, mas também sinalizaram que a sensação de conforto nas moradias não é a ideal, que o entorno e a localização dos empreendimentos têm inadequaçõe…

O Projeto e a baixa Produtividade na construção

Sondagem feita com as maiores empresas de capital aberto de construção civil detectou que os principais problemas que afetam a lucratividade do setor por ordem de importância são:

1- Projetos mal elaborados
2- Empreendimentos com planejamento falho
3- Métodos construtivos ultrapassados
4- Sistemas de gestão ineficientes
5- Baixa qualificação da mão de obra
6- Falta de equipamentos adequados
7- Materiais de baixa qualidade

Analisando os dados vemos que é no projeto o principal entrave para um empreendimento dar lucro e, ironicamente, é o de menor valor do investimento em obras de construção, mas é onde os empresários tentam "economizar".

Tudo começa na escolha de uma área onde a empresa "escuta" mais o corretor do que um profissional de projeto que pode com uma análise inicial, tanto documental como técnica, dar um parecer que evitará prejuízos futuros, mas aí já se iniciou o círculo vicioso de não remunerar o serviço de consultoria de um arquiteto, chegando a muita…

Norma Para reformas NBR 16.280

Muita gente interpretou a nova Norma NBR 16.280 como mais uma despesa na reforma, mas, ao contrário é um investimento na segurança e nos resguarda de vários problemas que uma reforma mal executada pode causar.


Existem coisas em nossos apartamentos que são comuns a todos, como: Vigas e pilares ou alvenaria estrutural; descidas de água, esgoto e águas pluviais; instalações elétricas, Exaustação etc. Por essa razão, houve a necessidade de se estabelecer uma norma para que reformas em uma unidade ou apartamento não prejudique os vizinhos e a estrutura do prédio.


O proprietário deverá contratar um profissional habilitado, arquiteto ou engenheiro. Este profissional irá elaborar um Plano de reforma e encaminhá-lo ao síndico. O síndico analisará esse plano e responderá a solicitação. Se aprovado, autoriza a entrada de material, equipamentos e pessoas contratadas, assim como comunica aos demais moradores sobre as obras, horários etc.


Durante a execução da obra, o proprietário deve garantir …